Politica

TJDFT não autoriza retorno e Celina Leão vai recorrer

Em votação apertada (11-9), o Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios (TJDFT), decidiu negar o retorno de Celina Leão à presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal. O afastamento se deu porque a deputada teve seu nome ligado à Operação Dracon, que investiga o pagamento de propina com sobras orçamentárias do legislativo.

Na mesma audiência que manteve Celina afastada de seu cargo, o Conselho aprovou o retorno de Raimundo Ribeiro(PPS), Júlio Cesar(PRB) e Bispo Renato(PR) à Mesa Diretora. A presidência da casa continuará sendo ocupada pelo deputado Juarezão(PSB).

Celina Leão deverá recorrer ao STJ para tentar voltar ao cargo e cumprir seu mandato como presidente da Mesa, que vai até o fim de Dezembro.

O relator do processo, desembargador José Divino, disse que não vê necessidade de manter os parlamentares afastados e votou a favor do retorno deles, tanto no caso de Celina quanto dos demais deputados. “Nenhum dos deputados usou influência para tentar obstaculizar as investigações”, disse ele.

Já o desembargador Romeu Gonzaga Neiva foi um dos que defendeu o afastamento. “A posição de mando e poder de um investigado, e o simples fato de ele estar à frente de um poder, isso pode influenciar a coleta de provas”, argumentou.

Print Friendly, PDF & Email

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário