Politica

Moro acatou pedido do PSDB para abrir fase da Lava Jato contra o PT

Além de forjar a prisão do ex-presidente Lula e fraudar a eleição presidencial de 2018, o ex-juiz Sergio Moro também abriu uma fase da Lava Jato, a “Carbono 14”, a pedido da atual senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP). “Prezado, a Deputada Mara Gabrili mandou o texto abaixo para mim, podem dar uma checada nisso. Favor manter reservado”, disse Moro a Dallagnol, referindo-se a uma acusação, não comprovada, sobre o caso Celso Daniel.

Leia, abaixo, trecho de reportagem do Intercept:

Em março de 2017, Moro escreveu a Dallagnol para sugerir por baixo dos panos um caminho para a investigação da Lava Jato – o que, na teoria, só poderia ser feito dentro dos autos. “Prezado, a Deputada Mara Gabrili mandou o texto abaixo para mim, podem dar uma checada nisso. Favor manter reservado”, disse o então juiz.

Seguia-se uma longa mensagem de Gabrilli, do PSDB de SP e atualmente senadora, em que ela sugere que o publicitário Marcos Valério, preso após os processos do Mensalão, fosse ouvido a respeito do assassinato de Celso Daniel, ocorrido em 2002. Daniel era prefeito de Santo André, cidade do ABC paulista, berço político de Lula e do Partido dos Trabalhadores.

Menos de uma hora depois, Moro ouviu que o apelo da então deputada seria levado em conta pela Lava Jato. “Falei com Diogo, que checará”, respondeu Dallagnol, fazendo referência ao procurador Diogo Castor de Mattos.

Fonte: Brasil 247