Politica

Maior fake news de Bolsonaro é sobre a Previdência

O presidente Jair Bolsonaro, soltou no fim da tarde desta segunda-feira (11) dois tweets que são, talvez as maiores fake news já disparadas por ele. O tema é a Previdência Social. “Estima-se que com a aprovação da Nova Previdência serão criados 8 milhões de novos empregos formais” – o chefe do Planalto divulga, com aparência de informação, um “chute” sem qualquer base, numa frase de sujeito indeterminado (“estima-se”) com uma sequência de afirmações mentirosas sobre a reforma que pretende para a Previdência Social.

“Estima-se que com a aprovação da Nova Previdência serão criados 8 milhões de novos empregos formais, além de garantir os benefícios dos atuais aposentados e aliviar os mais pobres, que pagarão ainda menos do que pagam hoje. Mente quem diz que a proposta beneficia os mais ricos!”, escreveu Bolsonaro. “A Nova Previdência define a aposentadoria de políticos nos padrões do INSS, inclui militares e servidores, é mais justa, igualitária e preserva os direitos do trabalhador. Parlamentares têm a chance de fazer história participando deste processo que levará o Brasil à prosperidade!”, disse.

A proposta de Reforma da Previdência já entregue por Bolsonaro à Câmara dos Deputados prevê 65 anos para homens e 62 para mulheres se aposentarem, o que ignora a dupla jornada das mulheres, especialmente as do campo, que têm uma qualidade de vida bem pior do que as pessoas das cidades. Soma-se a isso o tempo de contribuição, que é de 40 anos – muitos não conseguirão se aposentar porque a expectativa de vida nas zonas rurais é bem menor.

Também consta no projeto o regime de capitalização, que não teve sucesso no Chile. De acordo com este modelo, o trabalhador abre uma conta individual e faz uma poupança para depositar um percentual do salário todos os meses.

Sobre o benefício da prestação continuada (BPC), os idosos e outros trabalhadores de baixa renda terão seus ganhos reduzidos. Quem comprovar condição de “miserabilidade”, e tiver 55 anos ou mais, terá assegurada renda mínima de R$ 500, abaixo do salário mínimo. A reforma é um verdadeiro massacre contra os mais pobres.

Fonte: Brasil 247