Justiça condena Arruda em 2ª instância e aumenta multa no caso da Linknet

0

Ex-governador do DF e mais quatro, agora, terão de pagar R$ 64 milhões. Defesa diz que tentará absolvição.
Por Letícia Carvalho , G1 DF

 

A Justiça do Distrito Federal aumentou o valor da multa imposta ao ex-governador José Roberto Arruda (PR) e a outros quatro membros da gestão, condenados por superfaturamento nos contratos com a Linknet Serviços de Informática. Cabe novo recurso.

Com a nova decisão, o valor saltou dos R$ 11,85 milhões iniciais para R$ 64 milhões. O valor será dividido entre os cinco condenados pelo crime e, além dos valores dos contratos, inclui indenização por “danos morais coletivos”.

Além de Arruda, também foram condenados o ex-secretário José Geraldo Maciel, o delator da Caixa de Pandora, Durval Barbosa, o ex-presidente da então Agência de Informática do GDF Luiz Paulo da Costa e o dono da Linknet, Gilberto Lucena.

A defesa de Arruda informou que “apresentará os recursos necessários não apenas para a diminuição da multa, mas em busca da justa absolvição”.

Na primeira instância, a Justiça havia determinado que o grupo devolvesse R$ 11,85 milhões aos cofres públicos. A defesa dos acusados e o Ministério Público do DF apresentaram recursos, que foram julgados na última quarta-feira (5).

Na decisão, a 6ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do DF negou os apelos dos réus e aceitou pedido do Ministério Público de aumentar o montante relacionado ao pedido de danos morais.

Caixa de Pandora
Segundo o delator Durval Barbosa, o esquema de corrupção conhecido como Mensalão do DEM ocorria por meio contratos de emergência e em faturas de “reconhecimento de dívida”.

Ele disse à Justiça que quase todos os serviços prestados pelas empresas participantes do esquema eram superfaturados, prevendo um pagamento de 10% destinados a propina.

Segundo a acusação, os contratos da Linknet com o governo para fornecer equipamentos e programas de computador deixaram de valer em janeiro de 2007. Ainda assim, os serviços continuaram sendo pagos até junho de 2009. Foram dois reconhecimentos de dívida, nos valores de R$ 37,5 milhões e R$ 63,8 milhões.

Fonte –  G1

Compartilhe este artigo.

Sobre o autor

Deixe seu comentário