Márcia de Alencar sai da Segurança. Assume o delegado Edval Novaes

0

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) anunciou nesta segunda (27) a troca de comando em três secretarias do GDF. Duas das mudanças foram antecipadas pelo Metrópoles na última sexta-feira (24/3). O atual chefe da pasta de Economia e Desenvolvimento Sustentável, Arthur Bernardes (PSD), deixa o cargo. No lugar dele, assumirá Antônio Valdir Oliveira Filho, hoje diretor-superintendente do Sebrae-DF.

Rollemberg também mudou o comando de uma das mais estratégicas pastas de seu governo: a Secretaria de Segurança Pública e Paz Social. Sai Márcia de Alencar e entra o delegado da Polícia Federal Edval de Oliveira Novaes Júnior. “O Novaes chega para reduzir ainda mais os números de homicídios e melhorar a sensação de insegurança no DF”, disse o governador.

Novaes atuou por 10 anos como subsecretário de Comando e Controle da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro. Ele coordenou as obras do Centro Integrado de Comando e Controle, órgão que planejou e executou a segurança das copas do Mundo e das Confederações, além da visita do Papa Francisco e jogos Olímpicos e Paralímpicos. Ele é formado em direito pela Universidade de Caxias do Sul e em jornalismo pela PUC de Campinas.

Márcia de Alencar permanece no Executivo. Ela será secretária-adjunta de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos. Desde que assumiu o comando da Segurança, recebeu muitas críticas. Não era bem aceita nem pelos policiais civis nem pelos militares. Chegou a enfrentar crises que tornaram sua permanência na pasta ainda mais delicada.

Em um dos episódios, o Metrópolesrevelou que a secretária emprestava sua estrutura de segurança bancada pelo GDF para levar os filhos à escola. A exposição de que ela deu carona a um de seus filhos em helicóptero oficial também causou constrangimento à integrante do primeiro escalão do GDF. Mas embora os fatos tenham lhe causado desgaste, Márcia foi mantida no cargo porque tinha a confiança de Rollemberg.

O governador chegou a ensaiar a mudança em outubro do ano passado quando convidou o ex-secretário de Segurança do Rio de Janeiro José Mariano Beltrame para assumir o comando da pasta no DF. Ele declinou e Márcia foi mantida no cargo.

Novaes trabalhou com Beltrame na Segurança do Rio. Diz já ter enfrentado situações semelhantes à operação-padrão da Polícia Civil, deflagrada no ano passado. “Vamos trabalhar com diálogo, para que as corporações desenvolvam o melhor resultado possível”, ressaltou.

Mais poder ao PSD
A reforma administrativa não vai parar por aí. O aviso foi dado por Rollemberg nesta segunda. Segundo ele, outras mudanças virão. Com o objetivo de reorganizar os espaços do PSD de Rogério Rosso e do vice-governador Renato Santana no governo, ele transferiu Arthur Bernardes da Secretaria de Economia e Desenvolvimento Sustentável para a Sejus, pasta que reúne uma das maiores reservas de cargos comissionados do governo.

Bernardes assume no lugar de Marcelo Lourenço, indicado pela distrital Sandra Faraj (Solidariedade). Assim, Rollemberg resolve dois problemas de uma só vez. Tira a pasta das mãos da deputada, investigada pelo Ministério Público e pela Câmara Legislativa por suposto desvio de verba indenizatória, e nomeia um nome mais alinhado com o setor produtivo.

Valdir Oliveira, que assume a SDE, é irmão do deputado Chico Leite (Rede), mas a indicação, no caso, atende à necessidade de dar celeridade a programas como o Pró-DF, desburocratizar a criação de empresas e a liberação de alvarás, além de ampliar a oferta de empregos.
Reforma administrativa
As mudanças anunciadas nesta segunda são mais um capítulo da reforma administrativa tocada por Rollemberg no primeiro e segundo escalões do governo. Entre as secretarias, o próximo alvo do número um do Palácio do Buriti é a do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh).

O governador não está satisfeito com a junção da supersecretaria. Vai desmembrá-la para desburocratizar os processos. A primeira probabilidade era de dividi-la em duas: Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social e Secretaria de Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos. No entanto, agora discute-se uma mudança para três órgãos diferentes.

Atualmente sob comando do PDT, a pasta tem como titular Gutemberg Gomes, indicação do presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle. Na manhã desta segunda, o presidente local da legenda, Georges Michel, se reuniu com o governador para tratar do assunto. A caneta do socialista vai alterar, também, o destino de alguns administradores regionais.

Por: Metrópoles

Compartilhe.

Sobre o autor

Deixe um comentário