Geral

Boff: arma é para ferir ou matar. É essa a ética de um governo?

O teólogo e escritor Leonardo Boff criticou o decreto que facilita a posse de armas assinado pelo presidente Jair Bolsonaro na manhã desta terça-feira (15) – a postagem do estudioso no Twitter foi feita antes da assinatura do decreto.

“O símbolo do Presidente, os dedos em forma de arma e seguidos por seus fãs além de ridícula, é vergonhosa. Ainda aprova a aquisição de armas. Arma é para ferir ou matar. É essa a ética de um Governo? Isso é corromper a mente dos brasileiros.Há assassinatos demais, agora estimulados”, disse Boff.

A cidadãos brasileiros com mais de 25 anos poderão comprar até quatro armas de fogo para guardar em casa. Quem quiser ter a posse de arma deverá preencher uma série de requisitos, como passar por avaliação psicológica e não ter antecedentes criminais. O que muda com o novo decreto é que não há necessidade de uma justificativa para a posse da arma. Antes esse item era avaliado e ficava a cargo de um delegado da Polícia Federal, que poderia aceitar, ou não, o argumento.

Além de militares e agentes públicos da área de segurança ativos e inativos, poderão adquirir armas de fogo os moradores de áreas rural e urbana com índices de mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes, conforme dados do Atlas da Violência 2018, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Donos e responsáveis por estabelecimentos comerciais ou industriais também poderão adquirir o armamento, assim como colecionadores de armas, atiradores e caçadores, devidamente registrados no Comando do Exército.

*Com informações da Agência Brasil