FGTS: Caixa antecipa saques do segundo lote de contas inativas

0

A Caixa Econômica Federal antecipou o segundo lote de saques das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O início das retiradas estava previsto para segunda-feira (10/4), mas começará neste sábado (8/4) em duas mil agências, que vão abrir as portas das 8h às 15h. A medida beneficia os trabalhadores que fazem aniversário nos meses de março, abril e maio.

Nesta próxima etapa, a Caixa espera que 7,7 milhões de trabalhadores saquem cerca de R$ 11,2 bilhões. Quem nasceu nos primeiros meses do ano e ainda não sacou o dinheiro poderá fazê-lo até 31 de julho. O saldo pode ser consultado nas agências da Caixa ou no site do banco.

Nos dias 10, 11 e 12, as agências também devem funcionar duas horas antes do horário normal para pagamento de contas inativas do FGTS. Destes 7,7 milhões de trabalhadores, cerca de 2,3 milhões já terão o crédito em poupança dos valores já no sábado, automaticamente, segundo afirmou o presidente da Caixa, Gilberto Occhi.

A decisão de antecipar o pagamento ocorreu em função do grande número de feriados no mês de abril, o que dificultaria a abertura das agências mais cedo e aos sábados.

Entre os dias 10 e 31 de março, a Caixa registrou o pagamento de R$ 5,9 bilhões para 3,7 milhões de pessoas. A previsão era de R$ 6,96 bilhões para 4,8 milhões de cidadãos.

Saque
Para realizar o saque, o trabalhador deve procurar uma agência da Caixa e apresentar o número de inscrição do PIS/Pasep, documento de identificação e comprovante de finalização do contrato de trabalho (carteira de trabalho ou Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho).

Podem sacar o saldo das contas inativas do FGTS os trabalhadores com carteira assinada que, em um ou mais contratos de trabalho, pediram demissão ou foram demitidos por justa causa com o contrato finalizado até 31 de dezembro de 2015.

Segundo a Caixa, mais de 30,2 milhões de trabalhadores têm direito ao saque do saldo das contas inativas do FGTS, totalizando cerca de R$ 43,6 bilhões.

Fonte: Metrópoles

Compartilhe.

Sobre o autor

Deixe um comentário