Estou, de volta pro meu… miserê…

0

 

Por -Ataíde Santos

A presidenta eleita Dilma Rousseff está na Europa. Segundo os noticiários locais,   as palestras da presidenta do Brasil são tão concorridas, que a de hoje (Quarta-Feira). Os ingressos esgotaram ontem, em menos de 20 minutos. Com mais de 24 horas de antecedência.

O que será que eles estão vendo em Dilma que nós não conseguimos perceber?

Lá ela fala o que não conseguiu falar aqui. Diz o que aqui ocultam.

Lendo o noticiário brasileiro que dá conta dos 83 pedidos de inquérito apresentado pelo Procurador Geral da República Rodrigo Janot, onde constam nomes de figuras  do mais alto escalão do governo ilegítimo,  recordo as palavras  ditas por Dilma, se referindo a corrupção no Brasil,  e já repetidas tantas vezes: “Não ficará pedra sobre pedra”.

De fato:  Na lista apresentada hoje, Janot cita Ministros, deputados, senadores e inclusive o ex-presidente Lula e Dilma Rousseff. (Lógico que os dois últimos não poderiam estar fora desse rol, sob pena do mundo vir abaixo por antecedência.

Ainda hoje grupos se reúnem pelo Brasil inteiro para tentar salvar o que ainda resta do país. Se é que ainda resta alguma coisa. Parece que nem a dignidade de se reconhecer o erro cometido está salva.

Máscaras foram ao chão, já não se comete crimes nos porões ou vielas, mas nos salões dos palácios, às claras. Perderam, aí sim,   o que lhes restavam da vergonha de cometer crimes, de mandar de volta à miséria milhões e milhões pessoas que um dia tiveram a alegria de poder sonhar.

 

O Brasíl precisava ser salvo, gritaram alguns, e a turba sedenta de sangue foi atrás da propaganda engenhosa e das notícias criadas para iludir. Mas, como Karnal, acharam que já podiam andar sozinho, seu sucesso era fruto de seu esforço… Mero engano… Milhões  estão voltando a charco lamacento de onde foram tirados e depois gritaram contra seus benfeitores  com toda força que conseguiram armazenar durante os últimos quase três lustros de mesa farta.

Sem entender o que fizeram, já sentem o cheiro da miséria a que estarão condenados ao trabalhar, contribuir, contribuir  e… jamais se aposentarem.

O Brasil estava doente, disseram,   e precisava de uma cirurgia urgente diziam, resolveram que seriam operadas as amigdalas e estão operando… mesmo que seja pela via anal, talvez porque tenha sido a via pela qual vieram ao mundo.

Compartilhe.

Sobre o autor

Deixe um comentário