Cultura Entretenimento

GDF apresenta balanço sobre o carnaval; cerca de 1,5 milhão de pessoas participaram da folia

Da Redação

De acordo com dados da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal cerca de 1,5 milhão de pessoas participaram do carnaval na capital este ano – em 2016, o número foi de 863 mil. Em balanço feito ontem pela pasta à imprensa local, o governador Rodrigo Rollemberg disse que este ano a movimentação de pessoas nos quatro dias de folia foi “a maior participação da história da população nas ruas”. Segundo ele, isso é resultado do empenho do governo e da sociedade. E destacou. “É importante para a economia, com um número grande de ambulantes trabalhando. Além disso, não tivemos nenhum homicídio registrado.”

No geral foram 128 blocos que saíram as ruas, conforme dados da Secretaria de Cultura do DF. Ao todo, ocorrem 208 eventos em 24 regiões administrativas. O governo, por sua vez, investiu R$ 880,8 mil para que as festividades acontecessem. Entre os blocos, 47 utilizaram recursos da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) – R$ 1,5 milhão – para literalmente colocar o “bloco na rua”.

“Podemos melhorar o financiamento privado e a relação com os ambulantes e com os moradores das quadras residenciais”, disse o secretário de Cultura, Guilherme Reis.

Segurança

No balanço feito pelo poder público também foi mencionado à questão da segurança pública nos eventos. De acordo com o governo, o trabalho foi conjunto entre a Secretaria de Cultura, a de Segurança Pública e da Paz Social, a de Adjunta de Turismo e a de Esporte, Turismo e Lazer.

Porém, conforme a Polícia Militar informou, houve casos de violência durante as festividades, além dos furtos. Segundo a PM, foram apreendidas facas e garrafas de vidro. Além disso, em alguns casos, foi preciso usar gás de pimenta e lacrimogêneo para dispersar brigas. O Corpo de Bombeiros também registrou casos de pessoas esfaqueadas.

A Polícia Civil registrou 275 de furtos diversos, 93 de furtos de celulares e 63 de roubos a transeuntes. Não houve ocorrências de homicídios nem de latrocínios.

Segundo a Secretaria de Saúde, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fez 149 atendimentos de sábado (25) a quarta-feira (1º). No Centro de Traumas do Hospital de Base, foram 277, entre eles, duas pessoas feridas por arma de fogo e duas por arma branca. Dezessete pacientes eram casos graves, e 34, de média gravidade.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), com apoio da Polícia Militar — abordou 489 veículos, 25 deles removidos para o depósito. Vinte e cinco motoristas alcoolizados foram autuados e cinco deles, encaminhados para a delegacia. Nove condutores estavam inabilitados e sete, com a carteira vencida ou suspensa. Já o Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) fez 163 autuações da Lei Seca e apreendeu 245 veículos durante o feriado.

Decreto

A partir de 2018, os eventos carnavalescos no DF serão norteados pelo Decreto nº 38.019, de 21 de fevereiro de 2017. De acordo com o GDF, a norma visa “desburocratizar a folia”.

Entre as normas que constituem o decreto está a exigência de documentos para o blocos que queiram se apresentar; o local para cadastramento dos blocos passará a ser único, a ser realizado no Centro Integrado de Atendimento ao Carnavalesco; e a incumbência de fortalecer a identidade e a tradição das escolas de samba.

 

 

 

 

 

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário