Educação

Estudantes goianos contra modelo tucano de reoganização escolar

Escola Estadual José Carlos de Almeida (EEJCA) Portão do Colégio Estadual José Carlos de Almeida Foto: Divulgação Escola Estadual José Carlos de Almeida (EEJCA)
Portão do Colégio Estadual José Carlos de Almeida Foto: Divulgação[/caption]

Já são três as escolas goianas ocupadas por estudantes em protestos a reorganização escolar proposta pelo governado Marconi Perillo (PSDB-GO)

 

POR LÍDIA MIRANDA

Estudantes secundaristas ocuparam mais uma escola nesta sexta-feira (11), o Colégio Estadual Lyceu de Goiânia é o terceiro a ser ocupado. Os movimentos dos estudantes que tiveram início em São Paulo na gestão tucana de Geraldo Alckimim , são contra o projeto de reorganização escolar com a cessão de gestão as OSs.

 

Escola Estadual José Carlos de Almeida (EEJCA) Portão do Colégio Estadual José Carlos de Almeida Foto: Divulgação
Escola Estadual José Carlos de Almeida (EEJCA)
Portão do Colégio Estadual José Carlos de Almeida Foto: Divulgação

Ontem (10), os estudantes já haviam ocupado os Colégio Estadual Robinho Martins de Azevedo, e anteriormente, na quarta-feira (9), o Colégio Estadual José Carlos de Almeida, que havia sido fechado no ano passado com suposta demanda não suficiente de alunos para as vagas oferecidas.

Em resposta a primeira ocupação, a Seduce emitiu nota dizendo que está aberta a diálogos e que a implantação das OSs estão sendo feitas de maneira cuidadosa e criteriosa.

 

Ainda na tarde desta sexta-feira (11), a cerca das ocupações ocorrentes Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás emitiu uma nota à imprensa. Leia abaixo na íntegra:

A Secretaria de Educação, Cultura e Esporte reafirma que sempre esteve aberta ao diálogo, por isso entende que esse movimento de ocupação de escolas da rede é extemporâneo, injustificável e desnecessário.

Nosso projeto de gestão compartilhada é único, e vai garantir que professores e diretores se dediquem exclusivamente ao ensino e aos alunos. As escolas vão permanecer 100% públicas e gratuitas, os professores efetivos terão todos os diretos assegurados e os recursos aplicados serão os mesmos.

A Secretaria tem a convicção de que este modelo será uma iniciativa inovadora, tornará o sistema mais ágil, mais eficiente e fará avançar a qualidade da educação pública em Goiás.

Com adptações

Print Friendly, PDF & Email

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário