Dono da Netpub acusa Sandra Faraj de usar carimbo falso em nota fiscal

0

Sócio da Netpub e ex-funcionário de Sandra Faraj (SD), Filipe Nogueira identificou carimbo falso em uma das notas fiscais apresentadas pela defesa da parlamentar. O documento consta na representação em que a ONG Adote um Distrital pede a cassação de Sandra. Alvo de investigação por suspeita de usar verba indenizatória irregularmente, a deputada alega ter pago R$ 150 mil em dinheiro pelos serviços prestados. E foi ressarcida pelos cofres públicos. Mas o empresário afirma que não recebeu um centavo sequer.

De acordo com Nogueira, o carimbo que atesta o recebimento pelo serviço da nota fiscal referente ao mês de fevereiro de 2016 não é o mesmo utilizado pela sua empresa. “Não carimbamos a última nota justamente para pressionar o pagamento”, contou ao Metrópoles. De acordo com ele, a assinatura também não confere.

Os documentos mostrados na defesa da parlamentar ostentam um carimbo azul. No entanto, as notas da Netpub usam tinta preta. O texto do registro também é diferente. Em um está escrito “recebido”. No outro, “recebemos”.

A denúncia pode mudar o rumo do trâmite da representação contra Sandra na Câmara Legislativa. Até então, nos bastidores, articulava-se um acordo para livrá-la de uma cassação, já que se tratava de uma guerra de versões, a palavra de um contra a de outro. Caso seja confirmada a falsificação do carimbo e da assinatura, a situação tende a virar.

O presidente da Casa, Joe Valle (PDT), afirmou que vai se reunir com os demais integrantes da Mesa Diretora, nesta segunda-feira (13/3), às 10h, sem a presença de Sandra Faraj, para avaliar a nova evidência. O deputado estuda ampliar o prazo de análise do processo de cassação, que caminhava para o arquivamento.

Precisamos de mais tempo para analisar esse novo fato. Vou propor à Mesa que estenda o prazo para definirmos como iremos proceder

Joe Valle, presidente da CLDF

A suspeita do sócio da Netpub surgiu, neste fim de semana, quando integrantes da ONG Adote um Distrital tiveram acesso à defesa apresentada pela deputada Sandra Faraj à Câmara Legislativa. “Eles [Adote] perceberam uma diferença nas notas e avisaram. Vi que não tínhamos aquele carimbo. Ainda perguntei ao financeiro e todos disseram que não havíamos batido ou assinado aquela nota”.

Nos documentos presentes na defesa da parlamentar, 11 das 12 notas entregues pela Netpub ao gabinete de Sandra Faraj possuem o carimbo idêntico, com o nome da empresa neles. Porém, o de fevereiro de 2016, exatamente o da última nota entregue pela empresa de Filipe Nogueira, é diferente e tem uma assinatura divergente das demais.

Veja a diferença em detalhe:

ReproduçãoREPRODUÇÃO

Denúncia
Filipe e a mulher dele, Michelly Nogueira, denunciam um esquema no qual a deputada teria recebido as notas fiscais antes do acerto de contas e nunca quitado a dívida. A Netpub prestava serviços na área de tecnologia da informação.

As divergências ocorreram durante os dois anos em que Filipe trabalhou no gabinete de Sandra, até que a Netpub entrou com pedido formal de execução da dívida, tanto na Justiça quanto na Câmara, em julho de 2016.

Sandra Faraj nega que tenha a dívida com a empresa e que todos os pagamentos foram realizados em dinheiro, apesar de o contrato com a Netpub definir que eles deveriam ser feitos por meio de boletos.

Diante das denúncias, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) também abriu uma investigação contra a parlamentar, que já prestou depoimento espontâneo aos promotores.

Continuidade da investigação
O coordenador da ONG Adote um Distrital, Olavo Santana, confirmou as informações prestadas pelo ex-funcionário de Sandra e disse que a entidade vai cobrar da Câmara Legislativa a continuidade do processo de investigação contra a parlamentar.

A defesa da deputada é muito fraca, mas caminhava para o arquivamento. Agora, temos uma nova evidência de irregularidade que deve ser analisada não mais pela Mesa Diretora, mas pela Corregedoria da Casa e, em seguida, o Conselho de Ética

Olavo Santana, ONG Adote um Distrital

O advogado de Sandra Faraj, Cleber Lopes, disse que, após o novo fato, vai aguardar a decisão da Mesa Diretora. Ele garantiu que a deputada nada tem a ver com as diferenças entre as notas.

“A deputada não tem acesso à nota. Quem faz o pedido de pagamento da verba indenizatória é um funcionário. O que podemos dizer é que realmente o carimbo é diferente dos demais apenas na nota”

Por: Metrópoles

Compartilhe.

Sobre o autor

Deixe um comentário