Dilma: irresponsáveis vão acabar com 140 anos de paz na América Latina

0

A presidente legítima Dilma Rousseff, deposta pelo golpe de 2016, vê o risco de que um ciclo de 140 anos de paz na América Latina chegue ao fim.

“Eu acredito que a visão que se divulga no Ocidente a respeito da Venezuela é irresponsável. Acho um absurdo o tratamento da imprensa internacional à Venezuela. Vão criar, aqui na América Latina, depois de 140 anos de paz, um grande conflito armado, assim como fizeram no Iraque e no Afeganistão”, disse ela, em sua entrevista à BBC.

Dias atrás, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou intervir militarmente para derrubar o governo de Nicolás Maduro.

A Venezuela, que tem as maiores reservas de petróleo do mundo, tenta resistir.

No Brasil, que tem o pré-sal, golpe parlamentar subordinou o País aos interesses norte-americanos.

Leia, abaixo, reportagem do Opera Mundi:

Visão do Ocidente sobre Venezuela é ‘irresponsável’, diz Dilma Rousseff

A ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff afirmou, nesta sexta-feira (11/08), em entrevista à emissora britânica BBC, que considera “irresponsável” a visão do Ocidente sobre a Venezuela e apontou como “absurdo” o tratamento da imprensa internacional ao país.

“Eu acredito que a visão que se divulga no Ocidente a respeito da Venezuela é irresponsável. Acho um absurdo o tratamento da imprensa internacional à Venezuela. Vão criar, aqui na América Latina, depois de 140 anos de paz, um grande conflito armado, assim como fizeram no Iraque e no Afeganistão”, disse.

Dilma foi questionada sobre se acreditava que Maduro era responsável pela situação na Venezuela. Não vou culpar apenas o Maduro. Existe um conflito. É que nem o que fizeram com o Saddam Hussein. O criminoso era o Saddam Hussein. Mataram-no da forma mais bestial possível. Quando fizeram isso, destamparam a caixa de pandora e saíram todos os monstros possíveis”, afirmou.

A ex-presidente brasileira defendeu a negociação para o conflito da Venezuela. “Eu não acho que a questão é ficar falando mal do Maduro. Na Venezuela estão lidando com forças sociais reais. Se querem guerra civil, terão. Com ou sem Maduro. Há um conflito lá. Não posso ser irresponsável e ser a favor de que o conflito seja resolvido intensificando a contradição. Ou tenta-se construir uma solução pacífica ou vai ter guerra civil. Os dois lados estão armados.”

A Venezuela atravessa um período de aguda crise política, que culminou com a eleição da Assembleia Constituinte, convocada por Maduro sob protestos da oposição e de parte da comunidade internacional.  Após a realização da votação, os EUA impuseram sanções a funcionários do governo venezuelano, incluindo o presidente.

… temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.

Por: Brasil 247

Compartilhe.

Sobre o autor

Deixe um comentário