CLDF

Pedido de investigação sobre lista de presença do Deputado Robério Negreiros é arquivado por unanimidade

A Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) decidiu, nesta terça-feira, 18, por acolher um parecer da Procuradoria-Geral da Casa e arquivou a representação movida pelo Instituto de Fiscalização e Controle (IFC) contra o deputado distrital Robério Negreiros (PSD). A decisão contou com a assinatura de todos os membros da Mesa e foi confirmada pelo presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Rafael Prudente (MDB). O colegiado entendeu que o deputado não pode ser punido duas vezes, pois já teve o ponto cortado e descontado.

De acordo com o órgão, o sistema de controle de frequência é falho, por isso não haveria condições de comprovar que houve má-fé por parte do distrital.

Na representação entregue à CLDF, o IFC pedia a investigação do deputado por quebra de decoro parlamentar, tendo como base reportagem que mostrou a assinatura de Negreiros em folhas de ponto da CLDF nas mesmas datas em que ele estava em viagem aos Estados Unidos, no fim do ano passado e supostos indícios de irregularidade nos registros neste ano, o que não se comprovou.

Desde o início das supostas denúncias, Robério Negreiros afirma que jamais houve má-fé de sua parte, o que houve foi um erro formal que estava sendo apurado e que seria devidamente esclarecido no tempo certo e pelas instâncias competentes. Mesmo sendo alvo de suposições e frágeis denúncias, o deputado Robério sempre declarou entender como saudável qualquer manifestação democrática de qualquer entidade.

Desde o dia 27 de maio, quando o caso veio à tona, o deputado está afastado da Câmara Legislativa do DF, por motivo de saúde. Há algum tempo Robério Negreiros vem tratando de um quadro de estresses que resultou em um agravamento de seu nervo ciático. Seu quadro clínico o afastou de suas atividades junto à Casa.

Em relação à manifestação da Mesa Diretora a favor do arquivamento, o deputado disse que estava confiante, pois não cometeu nenhuma irregularidade propositadamente e que acreditava no julgamento por parte dos seus membros e da Procuradoria-Geral, em face de um problema em que já se constatou falhas nos fluxos administrativos da CLDF.

Ainda segundo o distrital, mesmo no período de sua licença médica, deixou ordem para o gabinete cumprir todas as decisões da Mesa a respeito deste assunto, apurando todos os fluxos internos de forma a corrigir e evitar novos equívocos, atitude que provou seu total interesse em que o assunto fosse devidamente esclarecido.

Print Friendly, PDF & Email

Faça um comentário

Clique aqui para fazer um comentário